Como alcançar a competência aquática

Autores/as

  • Sandra Rossi Madormo INATI

DOI:

https://doi.org/10.21134/riaa.v5i10.1489

Resumen

Esta obra propõe uma nova abordagem para a educação aquática, na qual se aposta a necessidade de mudar e repensar os cenários aquáticos de ensino e desenvolvimento da competência aquática.

 

Por esse motivo, além de desenvolver o conceito de “competência aquática” e descrever sua evolução no nível comportamental, afetivo e cognitivo, apresenta uma maneira concreta de ensiná-lo e avaliá-lo: o Método Aquático Compreensivo.

 

É uma metodologia motivadora que incentiva à ação, que melhora a atenção e o tempo de reação, transfere o que foi aprendido para o contexto social e favorece a regulação das emoções positivas. Está focado no aluno e leva em consideração as diferenças individuais em relação aos fatores metacognitivos-cognitivos, motivacionais- afetivos, evolutivos e sociais. Tudo isso em função de aprender a usar a inteligência para direcionar ativamente a ação de seu comportamento em prol de sua autonomia. Assim descrevemos tanto os comportamentos apropriados e inapropriados como suas consequências, usando termos explícitos e claros.

 

Os alunos são incentivados a buscar metas desafiadoras - mas que estão ao seu alcance - e a regular seu comportamento. O sucesso é considerado em termos de melhoria e não em comparação com outros, o que ocorre como resultado do esforço, este também de formação. Por aprender fazendo, por descobrir por si mesmos os princípios, conceitos, teorias e leis, para o profundo entendimento produzido pelo raciocínio prático, crítico e criativo e pelos efeitos permanentes que pode produzir, este método de ensino pode significar um ponto de inflexão para o leitor comprometido com este trabalho.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Métricas

Cargando métricas ...

Publicado

2021-10-30

Cómo citar

Rossi Madormo, S. (2021). Como alcançar a competência aquática. Revista De Investigación En Actividades Acuáticas, 5(10). https://doi.org/10.21134/riaa.v5i10.1489

Número

Sección

Recesiones